Pesquisa com Flamboyant (Delonixregia) – Quebra de dormência de sementes Publicado em:

Em 2021 realizou-se uma pesquisa entre a Faculdade CESURG e a UFSM para testar diferentes métodos de quebra de dormência de sementes da árvore Flamboyant.

Delonix regia, conhecida pelo seu nome popular flamboyant, é uma árvore da família Fabaceae, subfamília Caesalpionoideae. A espécie é conhecida por sua floração vistosa e atraente com cores variando entre o vermelho e o laranja (SILVA, 2009).

A produção de mudas de flamboyant é realizada, principalmente, por sementes. A planta atinge sua maturidade reprodutiva por volta de 5 a 7 anos (STEBBINS, 1999). Porém, a germinação de sementes e o enraizamento de estacas de flamboyant apresentam limitações (MYERS; VENDRAME, 2004). As sementes de flamboyant apresentam dormência pela impermeabilidade do tegumento ao oxigênio e à água (dormência física), causando dificuldades para germinação e uniformidade de produção de plântulas (COSSA, 2009). 

O trabalho foi realizado em uma câmara climatizada do Departamento de Engenharia Florestal da UFSM, câmpus de Frederico Westphalen, nos meses de março e abril de 2021. É resultado da parceria entre as instituições Centro de Ensino Superior Riograndense (CESURG câmpus Sarandi) e Universidade Federal de Santa Maria (UFSM câmpus Frederico Westphalen). 

As sementes de flamboyant passaram por diferentes tratamentos para a superação da dormência: T1 – Testemunha (sementes sem nenhum tratamento); T2 – Escarificação mecânica com lixa d’água 120; T3 - Estratificação a frio com areia (refrigeração a 8°C) por 12 horas; T4 – Imersão em água a 100°C por 5 minutos e; T5 – Imersão em água a temperatura ambiente por 12 horas. Realizou-se 5 tratamentos com 5 repetições, cada repetição continha 9 sementes, totalizando 225 sementes. As sementes foram selecionadas quanto à sua saúde e ao seu tamanho. Além disso, passaram por um processo de higienização para sua purificação. As sementes de flamboyant foram coletadas de árvores adultas oriundas do município de Restinga Seca.

As sementes foram alocadas em tubetes contendo substrato comercial composto de vermiculita expandida, casca de pinus e eucalipto, fibra de coco e fibra de papel recuperada. O tratamento 2 (escarificação mecânica) foi o que apresentou melhores resultados, com 35 plantas germinadas, seguido do tratamento 4 (água a 100 ºC por 5 minutos) com 27 plantas, tratamento 3 (refrigeração 8 ºC por 18 horas) com 12 plantas, tratamento 1 (testemunha) com 7 plantas. O tratamento 5 (água a temperatura ambiente por 24 horas) foi o que apresentou pior desempenho, totalizando 6 plantas germinadas.

Para a segunda etapa do projeto está sendo planejado um segundo experimento, em que as mudas de flamboyant serão colocadas em diferentes substratos para avaliar qual deles irá garantir um melhor desenvolvimento para as plantas.

estufa-climatizada-para-a-realizacao-do-projeto
Figura 1: Estufa climatizada para a realização do projeto. Fonte: Autores.
muda-de-flamboyant-em-observacao-da-germinacao
Figura 2: Muda de flamboyant em observação da germinação. Fonte: Autores.
mudas-de-flamboyant-na-fase-final-do-projeto
Figura 3: Mudas de flamboyant na fase final do projeto. Fonte: Autores. 

REFERÊNCIAS

COSSA, C. A.; SORACE, M. A. da F.; LIMA, C. B. de.; OSIPI, E. A. F.; MANTOAN, L. P.; POLÔNIO, V. D.; JANANI, J. K. Aspectos da germinação de sementes de Delonix regia (Bojer ex Hook.) Revista Brasileira de Agroecologia, v. 4, n. 2, p. 1-4, nov. 2009.  (Resumos do VI CBA e II CLAA).
MYERS, A. R.; VENDRAME, W. A. Propagation of yellow kampong royal poincianavia somatic embryogenesis. Proceedings of the Florida State Horticultural Society, v. 117, p. 338-341. 2004.
SILVA, G. C. da. Distribuição espacial do flamboyant, espécie exótica da Mata Atlântica, no Câmpus I da Universidade Federal da Paraíba. Centro de Ciências Exatas e da Natureza Curso de Graduação em Geografia, 2009.
STEBBINS, M. K. Flowering Trees of Florida. Sarasota, FL: Pineapple Press, 1999.

Confira também!

Autor(es)