Processo de germinação de cereais de inverno Publicado em:

Nesse material, você irá encontrar uma breve descrição dos aspectos importantes sobre o processo de germinação de cereais de inverno como:


ada semente de trigo e dos demais cereais caracterizam-se por apresentarem Endosperma, Embrião, cabelos do endosperma, brácteas (palha) e parede da semente (tecido nuclear, tegumento, células tubulares, células cruzadas, hipoderme e epiderme) (Figura 1).

Figura 1 – Partes de uma semente de trigo.

 

Endosperma

É a principal parte do centro da semente de cereais, representando aproximadamente 80% do peso da semente. O endosperma, por ser rico em carboidratos energéticos e proteínas importantes, é muito utilizado na indústria originando a farinha de trigo.

 

Paredes

As paredes constituem as camadas mais externas do grão dos cereais, perfazendo aproximadamente 14% do grão. Essa camada da semente protege a principal parte do grão (embrião) e é rica em vitaminas do complexo B e minerais. Por isso, na indústria, as camadas da parede são removidas durante a moagem, originando a farinha integral.

 

Embrião

O embrião é a parte da semente que brota e da origem a uma planta, encontra-se em uma extremidade do grão e representa apenas 2% deste. É a parte da semente que acumula nutrientes e proteínas com as quais nutrem a nova planta. Durante a moagem, o embrião é geralmente separado do resto, devido ao alto teor de gordura limita a vida de prateleira da farinha. É um órgão rico em fonte de vitaminas B, óleo, vitamina E e gordura vegetal natural.

 

O Processo de germinação e formação de uma nova planta

1ª Etapa – grande aumento de volume da semente, decorrente da embebição – processo físico – pela entrada de água.

a) Aparência externa

 

b) Corte longitudinal

 

2ª Etapa – O tegumento da semente não acompanha todo o aumento do volume interno, rompe-se e então o embrião pode crescer. Geralmente a primeira parte a sair é a raiz primária (formada a partir da radícula), que penetra no solo por geotropismo positivo, e ramifica-se para formar o sistema radicular da nova planta. Há também surgimento de pelos radiculares.

 

3ª Etapa – No extremo oposto à raiz, geralmente com geotropismo negativo, a plúmula cresce para cima sendo protegido por uma bainha, o coleóptilo. Este eixo dá origem ao caule e as folhas. Uma vez acima do solo as primeiras folhas saem fora do coleóptilo que permanece como uma bainha em torno das bases das folhas. Monoticotiledôneas apresentam apenas um cotilédone na semente.

 

4ª Etapa – Ao contrário das dicotiledôneas, o único cotilédone em gramíneas não contém reservas nutricionais. A reserva de alimento necessário para a germinação é armazenado no endosperma, principalmente amido. Quando o grão absorve água, as enzimas são ativadas. Estas enzimas digerem o amido no endosperma em açúcares solúveis. O cotilédone absorve o açúcar e passa para o rápido crescimento da radícula e parte aérea. 

Tabela 1 – Composição química de grãos dos principais cereais de inverno (valores médios) (Adaptado de Koehler & Wieser (2013).