Manejo de trapoeraba na cultura do milho 2ª safra Publicado em:

O cultivo do milho segunda safra é uma opção de sistema de cultivo amplamente utilizado em diversas regiões do pais após a cultura da soja. Dentre os fatores que afetam a cosntrução de lavouras de alto potencial estão as plantas daninhas.


Figura 1. Sem o manejo de plantas daninhas

O manejo de plantas daninhas de difícil controle em áreas com histórico de alta infestação, deve ser realizado antes da implantação da cultura do milho, porém sabemos que o atraso na janela de plantio em demasia, compromete a produtividade da cultura, necessitando de uma estratégia efetiva, rápida e seletiva na cultura do milho.

Figura 2. Sem manejo pré-plantio, somente com manejo pós emergentes na cultura.

Em áreas onde a colheita da soja foi realizada, e tem-se alta pressão de trapoeraba, o uso de herbicidas com ação de contado, associado a herbicidas pré-emergentes seletivos para a cultura, aumentam a eficácia de controle sobre plantas grandes já estabelecidas, prolonga-se o período residual, garantindo uma frente competitiva a cultura do milho “estabelecimento do limpo” e maximizam o controle dos herbicidas que serão aplicados na pós emergência, pois estes serão aplicados com plantas pequenas, originarias de sementes.

Figura 3. Com manejo pré-plantio de herbicidas com ação de contato e pré-emergente na modalidade (plante aplique), associado ao manejo pós-emergente da cultura

Você também pode gostar de:

 

Autor(es)