Black-dot da batata Publicado em:

O agente causal

Colletotrichum coccodes tem como sinonímia Colletotrichum atramentarium (Berk. & Broome) Tauben., Gloeosporium amygdalinum Brizi.

 

Consequência

O fungo forma acérvulos arredondados com  aproximadamente  300 ?m  de  diâmetro. O nome pinta preta (Black-dot) se refere a produção abundante de microesclerócios pretos nos tubérculos, estolões, raízes e caule abaixo e acima do solo.

Uma vez estabelecida na cultura, os esclerócios sobrevivem por vários anos no solo, causando prejuízos em vários ciclos da cultura.

 

Ocorrência

Solos com textura grossa, mal drenados e sob alta temperatura favorecem a multiplicação e sobrevivência do patógeno.

Danos

Reduz a qualidade dos tubérculos sejam eles para consumo ou para semente, neste último representa importante fonte de inóculo chegando a causar redução de até 30% na produção.

Figura 2. Danos no tubérculo
Figura 3. Acérvulos do fungo crescidos após incubação (esquerda) e cérvulos e conídios vistos em microscópio (direita).

Sintomas

  • Amarelecimento da folhagem;
  • Podridão em raízes;
  • Ataque ao caule;
  • Eventual morte prematura de plantas.

Recomendações

  • Tratamento de sementes adequado;
  •  Plantações pouco adensadas;
  • Retirada de restos culturais;
  • Rotação de culturas com espécies não hospedeiras;
  • Vistorias periódicas;
  • Aplicação de fungicidas protetores junto com as medidas culturais adotadas.

Recomendações

Tratamento de sementes adequado, plantações pouco adensadas, retirada de restos culturais os quais devem ser queimados ou enterrados, rotação de culturas com espécies não hospedeiras, vistorias periódicas. Se utilizada irrigação que esta seja por gotejamento ou infiltração. Aplicação de fungicidas protetores junto com as medidas culturais adotadas, registrados para as culturas. Acérvulos do fungo crescidos após incubação Acérvulos e conídios vistos em microscópio 

 

Referências

Costa, M. H. D., Morfologia e patogenicidade de Colletotrichum coccodes em frutos de tomate e plantas de batata. Lavras. MG. UFLA, 2006. 84p.

Commonwealth Mycological Institute (C.M.I.). (1967). Distribution of Colletotriccum coccodes (Wallr.) Hughes. CMI Map 190, 2nd. Edition 

Autor(es)