Uso de inibidores da nitrificação para aumentar a eficiência dos adubos nitrogenados

Publicado em: 30/01/2022
Compartilhe:

Neste material você vai conhecer um pouco mais sobre:

  • Inibidores de nitrificação recomendados.
  • Como utilizar inibidores de nitrificação com a adubação nitrogenada.

Em nosso último material, discutimos a importância do nitrogênio (N) para as plantas e as vias de perda desse nutriente a partir da aplicação de adubos nitrogenados. Além disso, verificamos como as perdas podem ser reduzidas pelo uso de inibidores de nitrificação (Para acessar o conteúdo clique aqui). Agora, neste material, vamos conhecer os principais inibidores de nitrificação e as suas características. 

Inibidores de nitrificação recomendados 

A Instrução normativa n° 61, de 8 de julho de 2020, estabelece os grupos de aditivos e os produtos que podem ser utilizados juntamente com fertilizantes comerciais. 

Dentre os inibidores de nitrificação temos a dicianodiamida (DCD) e 3,4 - dimetilpirazol fosfato (DMPP). As especificações sobre sua indicação podem ser vistas na tabela a seguir. 

Tabela 1. Inibidores de nitrificação e sua recomendação de utilização

Fonte: Brasil (2020).
Fonte: Brasil (2020).

Conforme Cantarella (2007), os inibidores de nitrificação considerados agronômica e economicamente mais eficientes são a nitrapirina, a DCD e a DMPP. A seguir, vamos conhecer as principais características desses inibidores.  

Características dos inibidores de nitrificação

DCD: é uma molécula amida que, além do efeito de inibir a nitrificação, também é um fertilizante nitrogenado (65 % de N). Tem como característica a baixa solubilidade em água, não é higroscópico e se apresenta na forma de pó cristalino que pode ser incorporado a fertilizantes sólidos, líquidos ou soluções. O efeito desse inibidor manifesta-se entre seis e oito semanas após a aplicação dos fertilizantes. (CANTARELLA, 2007). 

DMPP: é um composto nitrogenado heterocíclico muito eficiente na inibição da nitrificação, sendo que seu efeito residual é maior do que o do DCD. Aplicações de 0,5 a 1,5 kg ha-1 (dependendo da dose de N aplicada) são eficientes para inibição da nitrificação por um período de 4 a 10 semanas. (ZERULLA et al., 2001). 

Nitrapirina: recomendado para o uso com fertilizantes nitrogenados amoniacais como amônia anidra, ureia, sulfato de amônio, nitrato de amônio e estercos animais. Devido a sua rápida volatilização, é recomendado que seja incorporado ao solo juntamente com o fertilizante (5 a 10 cm de profundidade). A degradação desse inibidor ocorre em até 30 dias e seu efeito inibidor manifesta-se por seis a oito semanas. No entanto, esse inibidor está sujeito à volatilização. (CANTARELLA, 2007).

Dessa forma, apesar dos adubos nitrogenados apresentarem perdas potenciais, há no mercado disponibilidade de produtos que retardam as perdas e aumentam a janela com alta disponibilidade de N para as raízes das plantas. Recomenda-se a utilização de produtos indicados pelo MAPA, respeitando as doses prescritas. 

Referências:

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretária de Defesa Agropecuária. Instrução normativa n° 61, de 08 de julho de 2020. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, edição 134, p. 5, 15 jul. 2020.
CANTARELLA, H. Nitrogênio. In: NOVAIS, R. F. et al. (ed.). Fertilidade do solo. Viçosa, MG: SBCS, 2007. p. 375-470.
ZERULLA, W. et al. 3,4-Dimethylpyrazole phosphate (DMPP) – a new nitrification inhibitor for agriculture and horticulture. Biology and fertility of soils, v. 34, n. 2, p. 79-84, 2001.

Autor(a)

Me. Lisiane Sobucki

MATERIAIS MAIS ACESSADOS:
VOCÊ PODE GOSTAR: