Trichoderma no controle biológico Publicado em:

Os fungos do gênero Trichoderma, também conhecidos como fungos-saprófitas, que são organismos que se alimentam de substâncias orgânicas presentes no solo. Devido a estas características e a rápida reprodução, tem facilidade de se manter viável no campo por maiores períodos de tempo.


Estes fungos são normalmente encontrados em regiões de clima temperado e tropical, que corresponde às condições encontradas em cultivos agrícolas no Brasil.

Possuem reprodução sexuada e assexuada, sendo a fase sexual teleomorfa (gênero Hypocrea) aparente quando colonizam madeira. Então, a fase assexuada (figura 1), é a mais importante deste agente antagonista, por ser a fase que possui ação contra patógenos.

Figura 1 - Ciclo de vida assexual de Trichoderma.

Potencial agente no controle biológico

Fungos deste gênero (figura 2) inicialmente foram utilizados como antagonistas de fungos de solos, como Sclerotinia sclerotiorum, Fusarium solani, Rhizoctonia solani. Mais tarde como agentes no biocontrole de nematoides. Existem algumas características que o tornam microrganismos promissores no controle biológico de fungos e fitonematoides:

  • Alta capacidade parasítica (parasitando ovos de nematoides);
  • Capacidade de produzir enzimas que degradam paredes celulares de fungos, ou interferem em alguma parte do ciclo do fungo ou do nematoide;
  • Indução de resistência em algumas plantas.
Figura 1 - Fungo do gênero Trichoderma em placa de petri (Foto: Ricardo Rubin Balardin)

Já existem 23 produtos à base de Trichoderma no mercado Brasileiro, dentre estes, 18 são registrados somente para fungos de solo como Sclerotinia sclerotiorum, Rhizoctonia solani, Fusarium solani f. sp. phaseoli, Thielaviopsis paradoxa, Macrophomina phaseolina, entre outros. E 4 são registrados para ambos, nematoides da espécie Pratylenchus zeae e para fungos de solo. Somente 1 é registrado somente para nematoides de três espécies, Meloidogyne incognita, Pratylenchus brachyurus e Heterodera glycines.

Principais espécies do gênero Trichoderma

  • Trichoderma asperellum;
  • Trichoderma harzianum;
  • Trichoderma brevicompactum;
  • Trichoderma virens;
  • Trichoderma asperelloides.

Formas de utilização

Algumas das formulações comerciais apresentam outros organismos combinados ao Trichoderma, como bactérias ou outros fungos. Os produtos disponíveis no mercado podem ser encontrados na forma suspensão concentrada, concentrado emulsionável, granulado dispersível e pó molhável. Estes produtos podem ser utilizadas via tratamento de semente ou aplicação via sulco.

   

   Você também pode gostar destes conteúdos:

        • Agentes biológicos no controle de fungos;

        • Trichoderma e sua crise de identidade.

   

Cuidados na aplicação


Por se tratar de um agente biológico, as condições no momento da aplicação são fundamentais na eficiência dos produtos. Recomenda-se que produtos a base de Trichoderma sejam utilizados em horários com temperaturas amenas (20 a 30 °C, ideal 26 °C).

Um detalhe de grande importância é a forma de armazenamento e manuseio deste microorganismo antes da sua utilização, pois como se trata de um organismo vivo. Desta forma, é importante que alguns cuidados sejam tomados para que o fungo se mantenha viável, e com alto índice de patogenicidade:

  1. Não armazenar as embalagens do microorganismos no sol ou em lugar fechado, pois a radiação solar e altas temperaturas diminuem a sua eficiência. Produtos a base deste agente devem ser armazenados em locais protegidos, com temperatura mais amena, e na sombra. No armazenamento por longos períodos de tempo, recomenda-se colocar o produto em local refrigerado (cerca de 8 °C).
  2. Quando produto é aplicado na sementes, é recomendado que a inoculação seja realizada na sombra, pouco tempo antes da semeadura.

Benefícios diretos e indiretos providos pelo fungo

Os benefícios diretos podem ser divididos em dois alvos de grande importância, fungos fitopatogênicos e nematoides.

  • Fungos: os benefícios diretos estão na mortalidade dos fungos fitopatogênicos de solo por micoparasitismo, antibiose e competição por alimento.
  • Nematoides: os benefícios diretos estão a mortalidade dos nematoides e a inibição da eclosão dos juvenis de segundo estágio (J2) pela produção de enzimas.

Outro benefício gerado pelo Trichoderma é a indução de resistência, que protege as plantas ao ataque de patógenos. Além disso, este microrganismos pode auxiliar no crescimento vegetativo da planta.

A utilização de agentes biológicos se tornou uma das principais formas de controle alternativo no manejo de patógenos de solo, isso faz com que sua utilização cresça cada vez mais na agricultura.

 


Referências

LOUZADA, G. A. S. et al. Potencial antagônico de Trichoderma spp. originários de diferentes agroecossistemas contra Sclerotinia sclerotiorum e Fusarium solani. Embrapa Arroz e Feijão-Artigo em periódico indexado (ALICE), 2009.

MACHADO, D. F. M. et al. Trichoderma no Brasil: o fungo e o bioagente. Revista de Ciências Agrárias, v. 35, n. 1, p. 274-288, 2012.

SPIEGEL, Y. e CHET, I. Evaluation of Trichoderma spp. As a biocontrol agent against soilborne fungi and plant-parasitic nematodes in Israel. Integrated Pest Management Reviews, Israel, v. 3, p. 169-175, 1998.

Autor(es)