Reação de cultivares de soja a Meloidogyne javanica Publicado em:

O material traz o comportamento das cultivares de soja em relação ao ataque da espécie. Além disso, argumenta sobre os nematoides das galhas que estão entre os principais fitonematoides presentes no Brasil, capazes de atacar as raízes de soja e causar danos severos à cultura. O cultivo contínuo de variedades com alto fator de reprodução da praga tem agravado os prejuízos na cultura da soja.

Este material aborda informações sobre o nematoide de galhas e reação de cultivares

 


Fitonematoides: um crescente desafio para o cultivo da soja

O cultivo da soja tem se tornado desafiador, devido à elevada diversidade de problemas fitossanitários que incidem na cultura. Se fosse analisado apenas o cenário das doenças, já seria assustador. Neste grupo, podem ser alencados problemas que ocorrem na semente, nas raízes e na parte aérea das plantas.

No tocante aos organismos que podem atacar as raízes da soja destacam-se os fitonematoides, distribuídos por todas as regiões produtoras do Brasil e capazes de causar danos significativos. A incidência de nematoides é crescente, potencializado por problemas de compactação de solo ou mesmo incidência de outros patógenos de solo.

Como a sintomatologia pode ser variada, em função da complexidade da interação das espécies de fitonematoides e as diversas cultivares de soja, diversos problemas observados na cultura são, erroneamente, atribuídos a outros fatores, minimizando um problema que na verdade tem dimensões preocupantes.

 

O ataque da praga

Esta praga de solo alimenta-se no sistema radicular causando interferência nos processos fisiológicos da planta, comprometendo a absorção e translocação de nutrientes, reduzindo a produtividade.

A alimentação destes microrganismos, quando estabelecidos nos estádios iniciais de desenvolvimento das plântulas de variedades de soja suscetíveis e dependendo da densidade populacional presente no solo, pode favorecer a entrada de fungos de solo que infectam as radicelas, comprometendo o desenvolvimento dessas plântulas e o estande inicial.

 

 

Os nematoides afetam igualmente todas as cultivares de soja?

Em levantamentos realizados pelo Instituto Phytus – RS, tem sido observada a presença do nematoide das galhas (Meloidogyne javanica) em mais de 70% das áreas amostradas, seguido do nematoide de cisto da soja (Heterodera glycines) e o nematoide das lesões radiculares (Pratylenchus brachyurus).

Uma das possíveis explicações para a elevada ocorrência de M. javanica, quase sempre causando níveis elevados de danos, é o uso contínuo de variedades de soja com alto fator de reprodução.

Em decorrência disso, o Instituto Phytus desenvolve estudos para determinar a reação de cultivares de soja ao nematoide das galhas M. javanica, em casa de vegetação (Tabela 1).


Os estudos têm sido conduzidos em vasos e com variedades de soja pré-selecionadas. A partir da emergência das plântulas é inoculado um total de 5000 ovos e juvenis de Meloidogyne javanica no solo, e após 60 dias da inoculação, todas as variedades de soja são avaliadas, utilizando-se o fator de reprodução (FR).

 

O que é o Fator de Reprodução (FR)?

O Fator de Reprodução e/ou multiplicação refere-se à capacidade de reprodução do nematoide M. javanica sobre uma determinada planta hospedeira, neste caso, as cultivares de soja.

O FR é determinado pela divisão entre a população final e a população inicial (5000), conforme a metodologia descrita por Oostenbrink (1966), considerando-se resistentes cultivares com FR < 1,00 e suscetíveis com FR > 1,00. (Gráfico 1).

É importante salientar que estes resultados são obtidos em condições controladas (População do nematoide 5.000/planta para cada variedade), utilizando a metodologia de fator de reprodução.

Foi considerada apenas a capacidade reprodutiva, haja vista que, existem outras metodologias de avaliação, que analisam outros aspectos como, por exemplo, os danos visuais causados no hospedeiro. Embora este seja um método limitado, apresenta bons indicativos a cerca do comportamento das variedades.

 

Cultivares com baixo FR: estratégia para o manejo de nematoides

Os resultados obtidos mostraram diferentes níveis de multiplicação entre as cultivares, o que indica escassez de materiais com baixo fator de reprodução a M. javanica. A cada safra há surgimento de inúmeras cultivares de soja, sendo necessário o estudo contínuo da reação das mesmas espécies de fitonematoides importantes para cada região.

Se for construído um plano anual de manejo, além da reação varietal, a contribuição das diferentes culturas de inverno sobre a densidade populacional de M. javanica passa a ser de grande importância, visando à diminuição da população no solo.

Neste caso, além de reduzir o impacto dos fitonematoides na produtividade da cultura soja, também seria reduzida uma possível pressão de seleção exercida pelas diversas populações sobre variedades que apresentem mecanismos genéticos ligados à resistência.

Como regra, variedades de soja resistentes devem ser ajustadas em programa de manejo, utilizando a rotação/sucessão com culturas não hospedeira.

Os avanços por parte do melhoramento genético, visando o lançamento de cultivares resistentes, vêm evoluindo.

Os mecanismos de resistência que atuam no patossistema nematoide/soja passam por fatores presentes em dois momentos: antes da penetração do organismo, através da liberação de exsudatos radiculares que apresentam características químicas repelentes, ação nematicida. E após a penetração do nematoide, através da ação de elicitores que desencadeiam eventos bioquímicos, impedindo o estabelecimento dos nematoides.

De maneira geral, o produtor deve intercalar a rotação ou sucessão de culturas não hospedeiras, de modo a reduzir a população inicial de uma safra para outra, permitindo o convívio com este organismo e preservando as fontes de resistência.

 

Quer saber mais sobre este assunto? Acesse:

 

Autor(es)