Efeito do equilíbrio nutricional da soja na severidade da ferrugem asiática Publicado em:

A ferrugem asiática, causada por Phakopsora pachyrhizi Sydow é uma das principais doenças que afetam a cultura da soja, o que pode ser atribuído à sua rápida disseminação e elevado potencial de dano. Na busca do aumento da eficiência do controle químico e redução da severidade dessa doença, o agricultor pode lançar mão de práticas de manejo, tais como a eliminação de plantas hospedeiras na entressafra, antecipação da semeadura da soja e o uso de técnicas que possibilitem o aumento da resistência da planta à infecção e ao ataque do patógeno, como a nutrição mineral de plantas.


Diversos pesquisadores observaram a influência do equilíbrio nutricional da soja na redução da severidade da ferrugem asiática. A nutrição mineral estimula efeitos secundários nas plantas, pois além das funções básicas inerentes a cada nutriente, atua nos mecanismos de defesa como componentes de enzimas, substratos, reguladores enzimáticos e ativadores-inibidores.

É necessário que haja o fornecimento adequado dos nutrientes no solo, evitando sintomas de deficiências e excessos. Por exemplo, a baixa disponibilidade de potássio faz com que compostos de baixo peso molecular (açúcares e aminoácidos) se acumulem na célula, servindo de alimento para os patógenos. Por outro lado, o excesso de nitrogênio também é prejudicial às plantas, pois estimula o crescimento de tecidos jovens, menos suberizados, que são mais suscetíveis ao ataque dos patógenos. Com relação ao fósforo, o fornecimento adequado desse nutriente favorece a maturação dos tecidos, dificultando a infecção dos tecidos jovens.

O cálcio tem papel fundamental na defesa da planta, pois atua na estabilidade da parede celular, dificultando o extravasamento de compostos para o apoplasto e impedindo a atividade de enzimas pectolíticas, as quais são liberadas pelo patógeno para degradação da lamela média. Debona et al. (2008) reportaram a redução da severidade da ferrugem asiática da soja de 16,75% para 9,75% com o incremento nas doses de cálcio de 49,5 para 247,5 kg ha-1.

O equilíbrio nutricional das plantas não exclui o uso de fungicidas no manejo da ferrugem asiática da soja. No entanto, pode atuar na otimização do controle químico e até mesmo no número de aplicações necessárias, influenciando diretamente os custos de produção e o retorno econômico da atividade agrícola.

 

Referências 

DEBONA, D. et al. Efeito dos níveis de cálcio e sombreamento em plantas de soja sobre a infecção por Phakopsora pachyrhizi. Comunicação. Tropical Plant Pathology, v. 33, n.5, 2008.

Autor(es)