A agricultura no século XXI Publicado em:

Neste material você vai entender um pouco mais sobre:

  • Área de cultivo agrícola no mundo.
  • Como aumentar a produção mundial de alimentos.
  • Conhecimento, informação, tecnologia e gestão na agricultura do séc. XXI

Agricultura: área de cultivo e importância mundial

A agricultura é a base da alimentação humana, dos animais domésticos de estimação e dos animais de fazenda (gado, suínos, equinos, aves etc.) a pelo menos 10.000 anos. Assim, a arte de cultivar o solo e produzir alimentos é considerada milenar. No início da agricultura a população humana não passava dos 5 milhões de pessoas em todo mundo (Mazoyer e Roudart, 2010). Hoje somos mais de 7,5 bilhões de pessoas com projeção para alcançar o patamar de 10 bilhões nos próximos 30 anos. Ainda, não somos somente 7 bilhões de pessoas que necessitam diariamente de alimentos. A agricultura também deve suprimir grãos e fibra para aproximadamente 1,2 bilhões de cabeça de gado e 1,7 bilhões de suínos (USDA 2020), além das aves, peixes e animais domésticos como cães e gato.

Para suprimir a produção mundial de alimentos a agricultura ocupa um território de 1,87 bilhões de hectares com lavouras anuais (Miranda 2018), equivalente a 14,5% da área terrestre. Em comparação, as áreas de floresta no mundo ocupam 4 bilhões de hectares, equivalente a 31% da área terrestre. Assim, a agricultura ocupa menos de 15% do território mundial e consegue suprimir toda a demanda de grãos, energia e fibras da população mundial e animais domésticos.

Como aumentar a produção mundial de alimentos?

Nos últimos anos é consenso que é possível aumentar a produção agrícola mundial sem aumentar as áreas de cultivo. E de fato é, pois a taxa de aumento de novas áreas de cultivo é inferior a taxa de aumento da produção agrícola mundial. Mas, como isso é possível? Isso ocorreu devido a diversos fatores que operam em sinergismo, como por exemplo:

  1. melhoramento genético de plantas;
  2.  uso de sementes certificadas e rastreadas;
  3. aumento na eficiência do uso da água;
  4. aumento na eficiência de uso de fertilizantes agrícolas;
  5. adoção de práticas conservacionistas do solo, como o sistema de plantio direto;
  6. semeadura e plantio conforme o zoneamento agrícola de risco climático;
  7. adoção de manejo integrado de pragas e doenças;
  8. aumento de políticas públicas de incentivo a preservação do solo, água e áreas de risco, entre outros.

 

Fatores para o sucesso da produção agrícola no século XXI


Em geral, todos os tópicos supracitados dependem de quatro importantes fatores: 1) conhecimento, 2) informação, 3) tecnologia e 4) gestão (Figura 1). Esses fatores estão se revelando a base para o desenvolvimento de uma agricultura sustentável para o século XXI.

O conhecimento

O conhecimento, em especial o conhecimento de base, é produzido em sua maioria nas universidades e instituições de pesquisa pública. Contudo, talvez esse seja uns dos grandes desafios na produção de conhecimento para a agricultura no século XXI: a produção de conhecimento ser uma aliança entre as instituições de pesquisa, juntamente com a iniciativa privada e aqueles que irão intermediar e usufruir da aplicação desse conhecimento, ou seja, extensionistas e agricultores, respectivamente.

A informação

Cabe aos pesquisadores aperfeiçoarem os conhecimentos existentes e produzir novos, a partir da pesquisa. Mas é importante que esse conhecimento se torne uma informação útil e aplicável tão logo o conhecimento seja produzido. Por exemplo, é reconhecido que gramíneas respondem a adubação nitrogenada, mas a resposta depende da espécie de planta, fonte de nitrogênio (N), momento da aplicação e estágio fenológico da planta. Isso é um conhecimento de fato. Mas no campo é necessário que esses conhecimentos cheguem como uma informação aplicável:  

 

Quando aplicar?

Qual fonte de N usar?

Qual cultivar responde melhor em produtividade?

Respondendo essas e outras questões de forma objetiva tem-se a informação.

 

Tecnologia

A tecnologia é outro fator importante para o sucesso da agricultura no século XXI. Não somente a demanda em quantidade de alimento cresce, mas também a demanda em qualidade. Assim, nos mercados dos países de maior renda per capita, como Japão, Alemanha, Suíça, entre outros, há uma crescente demanda por alimentos com maiores teores de nutrientes, vitaminas, proteínas e com substâncias benéficas a saúde humana, como antioxidantes. Para tanto, as tecnologias relacionadas ao melhoramento genético de plantas ganham crescente espaço na agricultura. Ainda, há o uso de tecnologias digitais no campo para mapeamento da fertilidade do solo e monitoramento de pragas e doenças que tendem a crescer e se tornarem acessíveis a todos os agricultores nas próximas décadas.

 

Gestão

A agricultura se desenvolve a partir da aplicação racional de fertilizantes, manejo do solo e uso da água. Esses recursos podem ser considerados escassos e finitos. Logo, é necessário realizar a correta gestão dos recursos com o intuito de otimizar sua eficiência, reduzir custos, aproveitar oportunidades de mercado e focar em resultados. É reconhecido que o Brasil é dos players do mercado agropecuário com destaque internacional na produção de grãos como soja e milho. Mas para que os agricultores nacionais mantenham sua competitividade no mercado internacional é necessária uma gestão eficiente dos recursos, seja para maximizar os lucros ou reduzir os custos com insumos e implementos e reduzir os impactos ambientais decorrentes das práticas agrícolas.


Referências:

Mazoyer, M., Roudart, L. História das agriculturas do mundo. Do neolítico à crise contemporânea. São Paulo: Editora UNESP, 2010. 568 p.

Miranda, E. Potência agrícola e ambiental áreas cultivadas no Brasil e no mundo. Agroanalysis, p. 25-27, 2018.

USDA. United States Department of Agriculture.  Foreign Agricultural Service. 2020. Disponível em <https://apps.fas.usda.gov/psdonline/app/index.html#/app/advQuery>.

Autor(es)