Você sabe quais são os sistemas para o cultivo de arroz irrigado?

Publicado em: 23/02/2022
Compartilhe:

Existem cinco métodos para o plantio de arroz:

  • Sistema convencional 
  • Cultivo mínimo 
  • Plantio direto
  • Pré-germinado 
  • Transplante de mudas 

Nos três primeiros sistemas a semeadura do ocorre em solo seco, enquanto que nos outros dois ocorre em solo submerso.


Convencional

Primeiramente ocorre o desmanche das taipas da safra anterior, seguido de preparo primário que consiste em operações que visam principalmente à eliminação e/ou enterrio da cobertura vegetal (grade ou arados) e preparo secundário do solo visando o destorroamento, o nivelamento do terreno, à incorporação de herbicidas (se for o caso) e à eliminação de plantas daninhas

 

Plantio direto

Indicado para solos não compactados, o solo, na maioria das vezes não necessita de preparo, colocando-se a semente e o adubo direto no solo. Quando é necessário o preparo faz-se uma aração, duas gradagens e aplainamento.

 

Cultivo mínimo

No sistema de cultivo mínimo a redução do número de procedimentos de preparo do solo visa manter parte dos resíduos vegetais na superfície do solo. Utiliza-se de escarificador, hastes e discos, implementos que rompem a estrutura do solo para reduzir o adensamento da camada superficial.

As operações de preparo do solo são semelhantes às realizadas no plantio direto diferindo apenas na época de realização, visto que estas ocorrem do final do inverno ao início da primavera, de 60 a 45 dias antes da semeadura.

O preparo do solo antecipado busca corrigir pequenas imperfeições de microrrelevo, preparar a superfície do solo para receber as sementes de arroz e estimular a germinação e emergência de sementes de plantas daninhas, como as de arroz-vermelho e preto.

Semeadura de arroz em sistema de cultivo mínimo (Foto: Ramos, P. H.)

 

Sistema de cultivo pré-germinado (PG)

Cultivo de arroz irrigado em áreas sistematizadas onde as sementes, previamente germinadas, são lançadas em quadros nivelados e inundados.

Os quadros possuem tamanho e forma fixos (1 a 2 ha), separados por taipas permanentes e com irrigação e drenagem independentes

Este sistema apresenta as seguintes vantagens:

  • Maior eficiência de controle de arroz-vermelho
  • Menor dependência do clima para o preparo do solo e semeadura,
  • Menor consumo de água para irrigação
  • Planejamento mais efetivo das atividades da lavoura

O preparo do solo é feito em duas etapas, primeiramente na camada superficial formando lama e depois o renivelamento e o alisamento do terreno.

Para evitar o empobrecimento do solo existem práticas como o preparo do terreno em solo seco e a semeadura do arroz pré-germinado sobre lâmina de água permanente (sem drenagem), que proporciona maior rentabilidade e qualidade ambiental.

 

Sistema de transplante de mudas

Usado em pequenas lavouras ou para a produção de sementes de alta qualidade.

Necessita a fase de produção de mudas em viveiros e de transplante em área previamente drenada, constituindo-se no método mais eficiente de controle do arroz-vermelho.

O arroz transplantado necessita atingir entre 18-25 cm dependendo do tipo de semeadura, manual (25 cm ou 30 dias após semeadura) ou automatizada (18 cm ou 20 dias após semeadura).

 

Fonte:

GOMES, A.S.; MAGALHÃES JÚNIOR, A.M. (Ed.). Arroz irrigado no Sul do Brasil. Pelotas: Embrapa Clima Temperado; Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2004. p.23-44.

Manejo do solo e sistema de plantio http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/arroz/arvore/CONT000fojvokoc02wyiv80bhgp5p3txf7t9.html

Autor(a)

Drª. Sílvia Ortiz

MATERIAIS MAIS ACESSADOS:
VOCÊ PODE GOSTAR: