Procedimentos envolvidos na hibridação da soja - Parte 1

Publicado em: 21/07/2022
Compartilhe:

Após a escolha eficiente dos genitores e o estabelecimento do bloco de cruzamentos, é necessário o compreendimento da estrutura floral da soja. A soja é caracterizada como uma espécie leguminosa, pertencente à família Fabaceae, que é composta por flores perfeitas ou hermafroditas. Estas são formadas por carpelos, sépalas e pétalas, responsáveis pela proteção da flor, e pelo gineceu e androceu, caracterizados como os órgãos reprodutivos. O sistema reprodutivo desta espécie é baseado na autofecundação de suas flores, sendo este fenômeno facilitado pela cleistogamia, que consiste na fecundação das flores antes da abertura do botão floral.

Devido a essas características peculiares, alguns procedimentos específicos devem ser realizados durante a hibridação da soja. Pesquisas revelam que o cruzamento se apresenta como a principal forma de obter novos genótipos da soja. A eficiência do processo de hibridação é dependente de condições ideais do cultivo em ambiente protegido ou a campo, requer mão-de-obra qualificada, é dependente da época do ano e do período do dia em que o cruzamento é realizado. Pesquisas definem que a umidade relativa do ar, quando muito elevada, tende a reduzir a eficiência do melhorista, devido às menores proporções de flores fertilizadas artificialmente e ao número de sementes híbridas obtidas na soja. 

A magnitude de genitores utilizados em um bloco de cruzamentos da soja apresenta-se dependente das condições de trabalho disponíveis pelo melhorista e dos objetivos impostos pelas diretrizes do programa de melhoramento. Nessas condições, o cultivo dos genitores e a hibridação da soja são realizados em casa de vegetação. Estes recipientes são divididos em três grupos, de modo que cada grupo é formado por uma época de semeadura (Grupo I, Grupo II, Grupo III), e as semeaduras são realizadas entre a segunda quinzena de outubro e a primeira quinzena de novembro de cada ano. 

No recipiente são acomodadas dez sementes e utilizam-se em média 20 genitores dispostos nas três épocas de semeadura. Após a emergência das plântulas, efetua-se um raleio com objetivo de alocar apenas cinco plântulas por recipiente. As adubações de base e o manejo de irrigação são realizados conforme as necessidades das plantas. Os manejos fitossanitários são efetuados rigorosamente a cada 15 dias com o intuito de minimizar a ação de patógenos e insetos-praga, e assim, manter as plantas protegidas de estresses bióticos que possam vir a influenciar negativamente o crescimento e o desenvolvimento da soja em ambiente protegido.

Para visualizar o conteúdo completo, torne-se usuário PREMIUM

Autor(a)

Dr. Ivan Ricardo Carvalho

FOTOS MAIS ACESSADAS:
VOCÊ PODE GOSTAR: