Principais pragas da cultura do tabaco: Lagarta-Helicoverpa

Publicado em: 22/02/2022
Compartilhe:

Lagarta-Helicoverpa (Helicoverpa armigera - Lepidoptera: Noctuidae)

Helicoverpa armigera é um inseto que possui metamorfose completa, ou seja, durante seu desenvolvimento biológico passa pelas fases de ovo, lagarta, pré-pupa, pupa e adulta. É uma espécie que apresenta alta capacidade de sobrevivência quando exposta as condições ambientais adversas, tais como excesso de calor, frio ou seca, associada a uma grande capacidade de dispersão, podendo em alguns casos percorre distâncias de até 1.000 km a procura de alimento e condições adequadas para seu desenvolvimento e reprodução. Aliado a essas características, H. armigera é uma espécie altamente polífaga, sendo relatada a sua ocorrência em mais de mais de 60 espécies de hospedeiros, podendo causar danos nas mais diversas culturas.

 

Identificação e duração do ciclo

Os adultos de H. armigera possuem a asa anterior de coloração cinza-esverdeada (macho) e creme escuro (fêmeas), com as margens exteriores de coloração escura e uma mancha em formato de rim na parte central (Figura 1). As asas posteriores são de coloração mais clara, apresentando a margem exterior de coloração mais escura, semelhante a asa anterior. Os adultos podem sobreviver por até 12 dias, sendo que as fêmeas possuem maior longevidade que os machos. As fêmeas de H. armigera podem colocar até 3.000 ovos durante o período de oviposição, que dura cerca de 5,3 dias. Os ovos na sua fase inicial de desenvolvimento são de coloração branco-amarela e possuem um aspecto brilhante, e quando chegam próximo ao momento da eclosão passam a apresentar coloração mais escura como mostram as imagens abaixo:

Fotos: Juliano Farias (Instituto Phytus)

 

As larvas podem passar por até seis instares durante o seu desenvolvimento, apresentando colorações diversas, desde branco-avermelhado no instares mais iniciais até verde nas fases finais do desenvolvimento larval. Essa variação de coloração é grandemente influenciada pela alimentação desses insetos durante essa fase, sendo essa uma característica não recomendada para identificação, veja nas figuras abaixo:

Diferentes colorações de H. armigera na fase larval.
Fotos: Juliano Farias (Instituto Phytus)

 

Após a fase de larva, o inseto passa a fase de pré-pupa e então para a fase de pupa, que dura entre 10 e 14 dias e ocorre no solo. A pupa possui coloração marrom com aspecto brilhoso. A duração total do ciclo desse inseto é de 4 a 5 semanas, variando principalmente em função das condições ambientais e do alimento disponível durante a fase larval.

Fotos: Juliano Farias (Instituto Phytus)

 

Danos no fumo

Na cultura do tabaco, essas lagartas podem se alimentar de folhas, hastes e brotos tanto durante a fase de desenvolvimento como durante a fase reprodução, podendo causar perdas significativas no rendimento e qualidade do produto final. Outro fator que eleva o patamar de importância econômica desse inseto é a inerente capacidade de causar danos num grande número de hospedeiros, podendo sobreviver alimentando-se de plantas hospedeiras alternativas durante o período que a cultura principal encontra-se ausente na área de cultivo.

 

Monitoramento e controle

O nível de controle ainda não foi estabelecido para esse inseto na cultura do tabaco. Os adultos de H. armigera podem ser monitorados, utilizando armadilhas luminosas, como também armadilhas iscadas com o seu feromônio sexual. O monitoramento efetivo de ovos, lagartas, pupas e adultos de H. armigera é considerado fator chave para a implementação com êxito das estratégias de manejo dessa praga. O controle químico, com a utilização de inseticidas, tem sido largamente aplicado nos ambientes agrícolas em que essa praga ocorre em razão de ser, muitas vezes, uma alternativa de ação rápida, confiável e econômica.

 

 

Autor(a)

Dr. Juliano Ricardo Farias

MATERIAIS MAIS ACESSADOS:
VOCÊ PODE GOSTAR: