O mofo azul [Blue Mold] causado pelo fungo Peronospora hyoscyami  f. sp. tabacina é uma doença que ataca as lavouras de fumo

Publicado em: 23/02/2022
Compartilhe:

Quais são as condições epidemiológicas para o desenvolvimento do fungo?

A formação do esporo do fungo ocorre em umidade relativa superior a 95% e luminosidade de 3h (luz) e 1,5h (escuro). A liberação de esporos acontece quando o aumento da temperatura ocorre concomitante com a diminuição da umidade.

A esporulação máxima do fungo ocorre entre 15 a 23 °C, mas o intervalo máximo tolerado pelo patógeno é entre 1 - 30 °C.

A sequência de eventos que ocorrem no fumo a partir do momento do contato com o fungo até a expressão final da doença dura 4 a 5 dias sob condições ótimas, consideradas como: baixa temperatura, luminosidade reduzida e umidade superior a 90%  por um período mínimo de 22h.

Após o fechamento de um ciclo a sobrevivência do fungo ocorre  no solo e na semente. O fungo pode ficar ativo no solo por vários anos.

 

Como o fungo se dissemina pela lavoura?

Os respingos de chuva associados ao vento favorecem a disseminação de esporos que se constitui no inóculo secundário.

A dispersão de esporos ocorre a longas distâncias. 

Em dias ensolarados é registrado o aumento da concentração de esporos no ar, sendo que a concentração máxima de esporos no ar ocorre no período de 2 a 4h após a liberação a partir das lesões nas folhas. Os picos diários de liberação de esporos é entre 10 e 13h.

Fonte: https://bugwoodcloud.org/images/768x512/1235010

 

Bom, e o controle?

O cultivo de fumo em sistema de floating é passível do desenvolvimento de diversas doenças fúngicas devido a umidade.

Para evitar a ocorrência da doença neste sistema, é inicialmente recomendada a ventilação máxima para reduzir a umidade no ambiente.

Outro fator de extremo cuidado é a irrigação. A irrigação por aspersão deve ser evitada e, se for a única alternativa possível, deve ocorrer sob alta temperatura e por períodos curtos durante o dia, para que as plantas tenham tempo para secar.

Os primeiros focos na sementeira devem ser controlados mediante aplicação de fungicidas.

A utilização de mudas produzidas em tais condições só é recomendada se a epidemia estiver sob controle.

Se o cultivo for no campo, uma vez que os primeiros sintomas são observados, os fungicidas devem ser aplicados imediatamente ??para controlar Peronospora hyoscyami f. sp. tabacina. Ao final da colheita, os resíduos de plantas infectadas devem ser destruídos para eliminar o inóculo.

A aplicação de fungicidas para o controle do mofo azul deve ser feita sobre plantas sadias, preventivamente, pois além dos benefícios fisiológicos, impede-se a chegada do patógeno e o dano.

Em folhas sadias tem-se a máxima absorção, pois folhas afetadas não recuperarão as lesões já estabelecidas, como pode ser verificado na figura abaixo:

Fonte: https://kentuckypestnews.files.wordpress.com/2014/08/blue-mold-fig-1.jpg

 

Autor(a)

Ph.D. Ricardo Balardin

MATERIAIS MAIS ACESSADOS:
VOCÊ PODE GOSTAR: