Novo produto fisiológico para o controle de lagartas e mais 27 novos defensivos agrícolas registrados no Brasil

Publicado em: 22/04/2022
Compartilhe:

Por meio do Ato n° 18 do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas da Secretaria de Defesa Agropecuária publicado dia 19 de abril no Diário Oficial da União, temos registrados mais 28 defensivos agrícolas formulados que passam a integrar o portfólio de produtos que podem ser usados pelos produtores. Destes, dois produtos são novos, sendo um destes considerado como de baixo impacto.

Um dos produtos inéditos tem como ingrediente ativo em sua formulação Bistriflurom. Este é um inseticida fisiológico destinado ao manejo de lagartas tidas como pragas importantes e com indicação para culturas de algodão, citros, milho e soja. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), este produto é considerado na classificação toxicológica como Classe V, ou seja, improvável de causar dano agudo, e na classificação quanto ao potencial de periculosidade ambiental como Classe IV, sendo um produto pouco perigoso ao meio ambiente.

Na lista de produtos registrados há um fungicida à base de Impirfluxam, terceiro registro para este ingrediente ativo até então no ano. Este produto é recomendado para o controle das doenças ferrugem asiática e da mancha-alvo na soja.

Figura 1. Sintomas da mancha-alvo em soja. Fonte: Daniel Debona.


Para o controle biológico, foi realizado o primeiro registro da vespa Trichospilus diatraeae, com uso também aprovado para a agricultura orgânica. A vespinha é recomendada para o controle da lagarta dos eucaliptos (Thyrinteina arnobia) e da broca da cana-de-açúcar (Diatraea saccharalis), suas larvas parasitam as pupas das lagartas e as levam à morte.

A agricultura orgânica ainda conta com quatro novos produtos aprovados: a vespinha Palmistichus elaeisis, um isolado de Beauveria bassiana, um Metarhizium anisopliae e um produto com o óleo de neem. 

Figura 2. Esporulação superficial do fungo B. bassiana em percevejo-marrom (Euschistus heros).


Ainda temos três novos produtos considerados de baixo impacto que constam no Ato n° 18 e que são hormônios vegetais, que embora não tenham efeito tóxico para pragas são registrados com base na mesma Lei dos Agrotóxicos. Essa categoria de defensivos é valiosa tanto pelo lado toxicológico e ambiental, como também por favorecer culturas que sofrem com um suporte fitossanitário insuficiente, já que estes produtos são aprovados por pragas-alvo e podem ser recomendados em qualquer cultura.

Fechando a lista de novos produtos, todos utilizam ingredientes ativos que já tinham sido registrados no Brasil e, vale ressaltar que, todos os produtos registrados foram devidamente analisados e aprovados pelos órgãos responsáveis pela saúde, meio ambiente e agricultura, de acordo com critérios científicos e alinhados às melhores práticas internacionais.


Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Inseticida fisiológico inédito é registrado para o controle de lagartas. Disponível em <https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/noticias/inseticida-fisiologico-inedito-e-registrado-para-o-controle-de-lagartas>. Publicado em 19  abril. Acesso em 20 abr. 2022.


Leia o artigo original no portal Dia Rural: https://diarural.com.br/novo-inseticida-fisiologico-para-o-controle-de-lagartas-foi-registrado/
Autor(a)

Caroline Maria Rabuscke

FOTOS MAIS ACESSADAS:
VOCÊ PODE GOSTAR: