Doenças da Cultura de Arroz Publicado em:

O arroz é um dos alimentos mais importantes, constituindo a base da alimentação da grande maioria da população mundial. É o segundo cereal mais cultivado, apresentando potencial de aumento produtivo. Entretanto, dentre os fatores que podem limitar a produção em quantidade e qualidade, merece atenção a ocorrência de doenças.


Neste cenário, apresentamos a seguir doenças que podem acometer as lavouras de arroz, já que a identificação da doença durante o monitoramento da lavoura é fundamental para a correta tomada de decisão quanto às medidas de controle a serem empregadas.

 

  •  Bruzone (Pyricularia oryzae (Cooke) Sacc. / Magnaporthe oryzae B. Couch - forma perfeita): é a doença de maior destaque na região Sul do Brasil, podendo ocorrer desde o estádio de plântula até a fase de maturação da cultura, sendo os prejuízos variáveis de acordo com a região, cultivar utilizada, época de semeadura, entre outros fatores. Os sintomas ocasionados pelo fungo podem ser observados nas folhas, nós e panículas. A brusone é caracterizada pela formação de manchas castanhas nas folhas e pela formação de um caule frágil. Em anos de condições favoráveis, pode comprometer até 100% da produção de arroz.
Figura 1.  Sintomas de brusone em arroz. Fonte: GULART, Caroline; ZAMBELI, Jéssica Nadalon (2019).

  •  Queima-da-bainha (Rhizoctonia solani J.G. Kühn): esta doença é favorecida por condições de baixa luminosidade, alta umidade e temperaturas médias em torno de 28 a 32 ºC. Sua ocorrência é favorecida em lavouras de arroz cultivadas com elevadas doses de fertilizante, principalmente nitrogenado, e com cultivares com alto índice de perfilhamento. Os sintomas iniciam-se por lesões na bainha, na altura da lâmina de água, mas, em condições favoráveis à evolução da doença, os sintomas também podem ser observados nas bainhas e folhas superiores.
Figura 2. Sintomas de queima-da-bainha em arroz. Fonte: SERAFINI, Pablo Tuzi (2020).

 

  •  Mancha-parda (Bipolaris oryzae (Anamorfo, Breda de Haan) Shoem, considerado sinônimo de Cochliobolus oryzae (teleomorfo): esta doença pode causar danos desde a fase de estabelecimento (plântula) até a fase de plantas adultas próximas da maturação. Quando ataca em fase de emergência da plântula, são observadas lesões no coleóptilo de coloração marrom e formato circular ou oval. Além disso, pode haver a distorção ou queima de folhas primárias e secundárias, bem como o escurecimento das raízes dessas plântulas. Nas folhas, os sintomas apresentam-se como lesões circulares ou ovais com margem parda ou avermelhada e centro acinzentado ou esbranquiçado. Quando prejudicados os grãos, estes apresentam glumas com manchas de coloração marrom escura, podendo cobrir o grão inteiro.
Figura 3. Mancha-parda em arroz. Fonte: GULART, Caroline; ZAMBELI, Jéssica Nadalon (2019).

 

  •  Falso-carvão (Ustilaginoidea virens): esta doença é observada tipicamente nos grãos do arroz na forma de uma massa arredondada de coloração verde-oliva e aspecto pulverulento. Também pode se manifestar como uma massa de tamanho reduzido contida pelas glumelas.
Figura 4. Falso-carvão do arroz. Fonte: BELLE, Cristiano (2019).

 

  • Podridão-do-colmo (Sarocladium oryzae (Sawada) Gams & Hamksworth (syn. Acrocylidrium oryzae Sawada)): nessa doença observa-se a formação de manchas marrons na bainha da folha, apodrecendo a região;
  • Mancha-estreita (Cercospora janseana = C. oryzae): nessa doença as folhas apresentam uma característica manchada, que resulta de problemas nutricionais.

 

Confira também! 

Autor(es)