Dia 8 de março, o FRAC publicou uma importante informação sobre carboxamidas em ferrugem da soja.

Leia na íntegra:

Cumpre ao FRAC-BR através do presente informar que durante o encontro do Working Group de SDHI do FRAC Internacional, realizado no dia 7 de março de 2017, foram discutidas informações sobre a Ferrugem Asiática da Soja no Brasil, as quais foram compartilhadas com o FRAC Brasil através de uma mensagem enviada pela Sra. Kristin Klappach, líder do Working Group.

Segue abaixo o conteúdo dessa mensagem.

"Durante a reunião do woking group do FRAC de SDHI (SDHI FRAC WG), foram discutidas informações sobre a sensibilidade de ferrugem da soja no Brasil. Este texto será incluído nas minutas oficiais do SDHI FRAC WG.

Amostras de Ferrugem asiática da soja vem sendo testadas quanto a sua sensibilidade para SDHIs desde 2007. A performance no campo dos fungicidas contendo SDHI permanece em geral boa, mas pela primeira vez na safra 2015/16 e particularmente na safra 2016/17, em áreas com um histórico intensivo do uso de SDHIs e em condições de alta pressão de doença, foram detectados casos de redução de performance das mesmas. Em adição, a caracterização inicial das populações coletadas em 2015/2016 indicaram uma mutação na subunidade C na posição I86F. A relevância e distribuição de tal mutação para a redução da sensibilidade a SDHIs, parcialmente também observadas nas amostras de 2016/2017, estão sendo investigadas. Programas intensivos de monitoramento estão sendo conduzidos para investigar a magnitude e relevância destas descobertas.

SDHI FRAC WG irá se reunir quando novos dados de monitoramento estiverem disponíveis (Maio/Junho) e as recomendações para a próxima safra 2017/2018 serão revisadas.

Espécies de fungos podem apresentar mutações diferentes que afetam os SDHIs. Algumas mutações podem levar a diferentes níveis de sensibilidade, dependendo da estrutura química do ingrediente ativo. Como todos os SDHIs apresentam resistência cruzada, o gerenciamento da resistência deve ser o mesmo para todos os SDHIs. Todo o monitoramento e recomendação aqui relatados referem-se a todo o grupo dos SDHIs.

O SDHI FRAC WG deseja trabalhar em conjunto com o FRAC Brasil neste importante tema.

Vemos a forte necessidade de alinhar as recomendações futuras e esperamos que as recomendações para o uso de SDHIs em soja permaneçam as mesmas até que novos dados de sensibilidade estejam disponíveis e o grupo de trabalho se reúna novamente para analisar os dados de monitoramento”.

Kristin Klappach (Chairwoman of the FRAC SDHI Working Group) Isto posto, considerando a relação existente entre o FRAC-BR e o FRAC Internacional, bem como da comunicação recebida, resta finalizado o informativo que ora vai publicado.

Atenciosamente.

FRAC - BRASIL 


Clique aqui para acessar o documento.